18.11.08

Oxum

Vegeto-me na água, luz de água,
novo rio;
desço cachoeiras,
revolto o sem-sentido,
aguardo tempo em cruz
e giro, em morte vivo,
paradoxo de nuvem
na revolta ascendente
da pureza sempre,
do ritmo de Oxum,
treva das Áfricas mais puras,
morada das ternuras,
aguardo em cobre velho
luas,
mulher de plena lua,
Oxum... fluir de luz,
leito de cervo,
amigo vem...
mãe... amigo vai,
lelia doura...

Iolanda Aldrei
http://daterraverde.blogspot.com

4 comentários:

inatingivel disse...

Senhora do Ouro e das águas doces, é na sua fluência que reside o amor.

Muito bonito!

inatingivel disse...

Senhora do Ouro e das águas doces, é na sua fluência que reside o amor.

Muito bonito!

Iolanda Aldrei disse...

Obrigada, meu amigo. O ouro do espírito e o amor, sim, a fluir.

Abraço

Iolanda

Iolanda Aldrei disse...

Obrigada pela sua fluência dourada.