2.11.08


senti o que do fundo de te antever nas margens do sem tempo
no sem fim da vida sonhada com a leveza dos anjos
quando nada se funda no querer ser
senti o que o teu coração abarca
o mundo todo a arder em espirais de luz e treva
incandescência de haver mundo na tua rota
o antes das pombas cais de embarque e tempestade
soltura e perdição o haver um depois
tudo embarca se me perco
tudo é um pouco menos que tudo se te perco
tudo é o que não vem
tudo tem o que eleva e arrebata
o infinito
a dar-se a ver
no espelho de prata do teu sorriso

1 comentário:

Vergilio Torres disse...

Belo ambiente, bela fotografia.
É Paulo Feitais.
Saúde a si e às belas palavras.

Um enorme abraço.