11.12.08

abertura




febre de mais
sem mais tudo se precipita na fenda que me rasga e projecta na soltura
dança repentina de não ser mais
que isto
impossível ossatura de vazar-me em terminação e incompletude
simples reflexo do que há na fugacidade que alimenta o tempo de fogo e lentidão
uma fuga em espiral em vertigem verto-me inteiro
na exaustão do sol
e o que fica
uma impressão e um rumor
sem mais

2 comentários:

frAgMenTUS disse...

foto magnífica!!!
parabéns :)

frAgMenTUS disse...

a própria foto suscita uma abertura para um mundo em/de viagem(ns) interior(es) e exterior(es), pela beleza da luz emanada, pelo suspirar das ondas, pelo descanso na orla marítima...gostaria eu de a ter tirada!
por curiosidade, em q praia foi?