2.12.08

A vida não é uma intenção

Se a vida fosse uma intenção tudo estaria previamente definido , tudo seria estático no espaço e no tempo .

Cientificamente está demonstrado que a vida é uma criação permanentemente impermanente tanto assim que os humanos têm a liberdade de destruir o próprio habitat .

Se houvesse alguma "intenção" anterior à "criação universal" certamente não haveria uma decisão tão ignorante de permitir a auto-destruição e sofrimento a que se assiste neste planeta .

Caso houvesse alguma "ideia" por detrás da vida universal , esta seria apenas um passado e jamais um presente , seria estática no tempo/espaço , em contradição ao movimento sempre novo da vida real no seu dia a dia .

O ser humano agarra-se a dogmas , a conceitos ou preconceitos , ilusões que apenas escondem a fantástica realidade que é o universo transcendente .

Neste curto tempo de consciência que os humanos têm neste planeta em que se sabe que pouco ainda se sabe da vida , as paisagens do mundo conceituadas através das palavras construindo pensamentos são apenas momentos da vida que já passaram , nada mais do que isso .

Mesmo a ciência pouco é por demonstrar apenas o que já passou e projectar minimamente realidades conceituais futuras , semelhanças do que pode vir a ser , não do que é .

3 comentários:

Anita Silva disse...

Valdemar,
Confesso que o esperava mais próximo das sãs loucuras do nosso Prof. Agostinho.

Conversando, um pouco sobre o texto...
Se à ciência lhe reconhece esses limites a 'demonstração' que fala no 2º parágrafo é por si colocada em causa. Apesar de me parecer, visto ser um paradoxo, aceitável. Já não acontecendo o mesmo quanto ao título, pois apresenta uma frase unipolar... e na vida só bipolarmente algo existe. (O mesmo acontece no 4º parágrafo.)
Suponho que não haja necessariamente uma 'ideia' prévia, suponho que haja algo que não possa ser idealizado - assim é o Amor.
Acontece de facto a destruição do habitat, acompanhada, consequentemente, pela inevitável regeneração (mais breve/longa).

Amigavelmente,
Anita.

Anita Silva disse...

(Confesso também que a minha interpretação do Prof. Agostinho é... minha. Daí que... quem está próximo ao longe... certamente que no essencial estamos 'lá')

Valdemar F. Ribeiro disse...

Oi Anita

O HÁ! gostinho da Silva além de um sã louco era também um ser muito especial com os pés centrados na realidade pois ajudou a fundar duas Universidades no Brasil , a Universidade de Brasilia e em Salvador(se não estou em erro) mas com certeza foram duas Universidades pois sabia ele que pensar era preciso !

Um imenso e profundo abraço fraterno a quem de si se quer Flor .