31.1.09

maresia



verto-me inteiro na dissolução da espera
sou uma quimera de fogo e exaltação
parto rubro de ansiedades antigas
tanto mundo que não consigo durar
sem me querer no fundo
todo o mar a inconstância da melodia
que arrasta para longe as primícias da escuta
não me absolve da fixidez das coisas materiais
estendo-me inteiro na planura de estar ausente
e desaguam por mim as águas lacrimais
que jorram do sol poente

2 comentários:

soantes disse...

Grande foto. Gostei do poema também.

Vergilio Torres disse...

Na profundidade da fotografia; profundo teu pensar.

Recebe este abraço de Domingo fazendo votos para que seja, um grande Domingo, um dia de entre tantos na tua poesia.

Aquele abraço amigo!