17.2.09

No Princípio é a Saudade

«(…) a Dor, síntese do Amor e da Morte, é a própria essência da Poesia lusitana. As lágrimas duma Pátria caem sempre no coração dos seus poetas, para que eles as redimam nos seus cantos. Todo o canto é redentor. (…)
Eram tudo memórias… Sim… tudo é lembrança para o amor que deseja oculta a incerteza do futuro na certeza do que passou (…).
Há palavras que são estrelas. Pela análise da sua frouxa luz remota, podemos descobrir os sentimentos e pensamentos que a formam. Há certas palavras, como esperança, lembrança, amor, saudade, que representam as supremas cristalizações da alma universal, agindo através do homem. (…)
Uma palavra de Jeová fazendo a luz, é o símbolo eterno da verdade que afirmamos. In principio erat verbum… e o Verbo é a Saudade. (…)
As cousas e os seres vivem mais na nossa memória que diante dos nossos olhos. Existir não é pensar: é ser lembrado. E para ser lembrado, é preciso amar. Só o amor cria a substância imperecível em que a nossa imagem se desenha.»
Teixeira de Pascoaes, Os Poetas Lusíadas

1 comentário:

Vergilio Torres disse...

sem palavras adequadas...

fico-me neste silêncio... eu sinto-o...

beijos