12.2.09

shakespeare enganou-se II

ser o que vive* ou ser a vida**: eis a questão

*nada
**tudo, que, na sua essência, é nada

3 comentários:

VIDA disse...

Shakespeare, não se enganou. Pois nenhum de vós, não se lembra, de não "SER", contudo esquecemos-nos frequentemente, de "SER".
Sendo assim, quando nos esquecemos, deixamos de "SER".

Paz

Anita Silva disse...

VIDA, não fui eu que criei essa expressão sobre Shakespeare, mas para mim ela não significa que Shakespeare simplesmente errou, talvez que cada um de nós esteja cá para criar algo novo, e para isso é preciso que haja o que "remendar": completar, só se podendo fazê-lo ao termos (tido) Avós.
Quanto ao que diz, concordo também, mas também é esquecendo que nos lembramos. Parece-me que mesmo o Não-Ser faz parte do Ser, por estar incluído na sua essência... inseparáveis "Romeu e Julieta" (opostos).

Um Abraço, e sempre, Amor.

Anita Silva disse...

(Mas confesso que não sei se te percebi completamente, como me é habitual) ;P