17.4.09

Encontro

4 comentários:

Maria Ana Silva disse...

Resta saber se é o Sol que saúda as pessoas, ou se são as pessoas que saúdam o Sol...
Ou talvez não seja preciso saber...

Um beijo.

Sereia* disse...

:)

Rui Miguel Félix disse...

Ana, vejo nesta fotografia, ou neste e nesse momento, a atracção pela Luz. Também me pergunto se é a Luz que nos atrai ou se somos nós atraídos por ela, o que neste caso, é a mesmíssima coisa. No entanto, o Homem atrair a si o Sol é tão real como o contrário. A física explica-o pela atracção dos corpos. O que é tarefa quase inimaginável é pressupor ou imaginar esse facto, dada a sua dimensão.

O vento despenteava as pessoas que ali espontaneamente se reuniram. A atmosfera vive e movimenta-se por acção directa do Sol, e ao ocaso, esse ciclo é invertido, no momento exacto que Ele se põe. As rajadas aumentam, e pode mesmo ouvir-se o último sopro de vento no exacto momento em que se dá o fenómeno mais que explicado do pôr-do-Sol. Depois, por conseguinte, o ar torna-se mais frio e as correntes térmicas voltam a ser descendentes. O dia acaba, o vento abranda e a noite começa.

O que também me prendeu, por assim dizer, neste fim-de-tarde imortalizado por uma fotografia, foi o abraço entre todos os que ali se apresentaram para imortalizar também em memória mais um dia passado. Em particular, o amor, entre os seres que procuraram ou foram atraídos por essa luz; o abraço irmão. Só ao chegar a casa reparei nessa troca de olhares imortalizada à luz do Sol que se punha por detrás das nuvens quentes ao alto do cabo de São Vicente, e o mundo como pano de fundo. O mito, o ritual.

Talvez não seja preciso saber, basta estar-se presente fazendo parte e vida nessa interacção.

Um beijo também para ti amiga.

Embora pouco presente, não deixo de vos ter no coração, talvez nunca deixe, por isso regresso à ilha, à luz deste abraço, deste encontro.

É bom saber quem somos.

Saúde!

Maria Ana Silva disse...

Quem Ama está sempre Presente (pois o Amor também é a Distância).

«É bom saber quem somos.»

É e será esse o Princípio, a partida, para Tudo. Fecundíssimo Nada que é...

Até Sempre.