8.3.09

Canto Divino

«Deus ao mar o perigo e o abismo deu
Mas nele é que espelhou o céu»
Fernando Pessoa

Por outro lado, como o nosso Canto é o nosso Céu, é nele que espelhamos o Mar do Nosso Amor, completando o Canto da Luz, do Amor-Criador, de Deus. Estamos fundando um Novo Céu através da nossa Voz, uma Nova Terra: a Terra da Música e do Amor - Eterna.

«Uma Ave e o Poeta
I
Sobre aquele pinheiro, aureolado
De inerte e vegetal melancolia,
Um passarinho, alegre e alvoroçado,
Cantou, cantou, durante todo o dia...

Fiquei-me a ouvi-lo, mudo e extasiado...
Mas, por fim, perguntei-lhe: Que alegria,
Se fez, em ti, ó corpo acostumado
À cruz das tuas asas de agonia?

Que descobriste, além, no céu profundo?
Ou que milagre aconteceu, no mundo?
Grande cousa decerto adivinhaste...

A aurora revelou-te o seu mistério?
E divina canção de amor etéreo,
À luz, sombra de Deus, alevantaste?

II

E a avezinha serena e confiada,
Num olhar de ternura me envolveu;
E em sua doce voz iluminada,
E tão cheia de graça, respondeu:

Meu canto é luz do sol em mim filtrada;
Vou a cantar.. e canta a luz do céu.
E das aves da noite a voz cerrada
É penumbra que nelas se embebeu.

Sonho a perfeita e mística alegria!
Desejo ser a alma da harmonia,
Que toda a terra e todo o espaço inflama!

Quero ser o Infinito e a Eternidade;
Não ser a estrela e ser a claridade;
Ser apenas o Amor, não ser quem ama.»
Teixeira de Pascoaes, As Sombras

4 comentários:

saudadesdofuturo disse...

Quisera eu, como diz o poeta: "Ser apenas o Amor, não ser quem ama."
Mas não, para aí invento sempre um Sol mais Luz ou uma "Ópera para as Rosas"...

Fez-me bem vir à ilha...

Um beijo

Anita Silva disse...

Não e sim. :)
Que mais seremos nós senão o próprio Amor...

nesse Futuro,
que nós é tão saudoso.

Um beijo amado.

Paulo Alves disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anita Silva disse...

Caro Paulo,
Pessoalmente nunca tive experiências semelhantes, mas já assisti... por isso, não me custa nada crer no que disse.

Só posso desejar que esses transes, a voltarem, o possam ajudar a si e aos outros - melhor ainda, ao Mundo.

(Fernando Pessoa também experienciou mediunidade. Estive hoje, inclusive, a ler o que ele escreveu nesses estados...)